quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Tempo só não cura saudade

Hoje acordei triste, mal sabia porquê. Mas não foi difícil lembrar.

Bastou fechar os olhos para ver seu rosto, levemente esmaecido pelo tempo. A pele frágil, com as marcas que a vida deixara. O cabelo ralo, já quase invisível. O mar que inundava seus olhos, brilhantes e amáveis. Suas palavras doces, seu sorriso confortador.

No momento que volto a ver o céu, escorre doce uma saudade pelo rosto, enquanto uma dor aguda aperta no peito e fecha a garganta. Engulo seco e parece que o tempo, há muito tempo, parou. Uma suave lembrança e a vontade de que houvesse esperança.

As palavras não podem dizer, os sonhos não podem realizar-se. Não mais. Nunca mais. E é essa certeza que me leva a saber que o tempo só não cura saudade.


13 anos. de onde me olhar, saiba que ainda te amo.